Um Ponto, uma Prece: pontos cantados na Umbanda

Olá, seja bem-vindo ao "Um Ponto, uma Prece"!

Clique aqui para visualizar / conhecer o Hino da Umbanda.

Confira o índice completo das postagens no lado direito do blog.

Abraço fraterno e muito Axé!
Saravá!

VISÃO DOS ORIXÁS



"Visão dos Orixás


Numa praia deserta caminhava um filho de fé...

Atormentado por suas mágoas e provações, buscava por um alento, um consolo.

Buscava forças e um sinal de esperança, para poder continuar lutando....

Olhava fixamente para as águas do mar, as ondas se quebrando, vindo do horizonte aos seus pés se esparramar...

Uma lágrima entristecida cobriu-lhe a face, seu coração apunhalado pelas intrigas e maldades dos seu irmãos, já se tornava insuportável....

"Então"...


Quando percebeu, já estava distante, foi quando notou que já estava entardecendo...

O vento soprou em seu rosto e veio a sua intuição...

A Senhora dos Ventos, Mãe Iansã, e a saudou com alegria e sentiu suas mágoas serem levadas pelo vento, a paz começou a renascer...


Olhou para o poente e viu no céu as nuvens avermelhadas, então com grande força saudou o Senhor das Demandas, seu Pai Ogum, e aos poucos o peso que lhe afligia se quebrava, e continuou caminhando...


Observou na beira das águas, peixinhos dourados a cintilar, foi então que seu coração se encheu de doçura e saudou Mamãe Oxum, que o abençoava com seu sagrado e divino manto...


Aos poucos, leves gotas de chuva tocaram a sua pele e a paz de espírito e o amparo que sentiu o fez lembrar-se de Nanã Buruquê, que com sua lama sagrada, aliviou por completo suas dores causadas pelos tormentos materiais e espirituais, e a saudou com grande festividade...


Perdido em seus pensamentos o filho de fé, caminhava fascinado, quando de repente a brisa tocou seus cabelos e junto com elas trouxe folhas distantes, sem hesitar saudou Pai Oxóssi, e pediu em sua mente que aquelas folhas lhe purificassem e o livrassem de todos os sentimentos impuros.


Sua concentração foi interrompida ao ver um raio iluminar o céu, e ouviu um alto estrondo que lhe encheu o peito de coragem. "Kaô Kabecilê", e sentiu a mão forte do seu pai Xangô, então confiante, não mais sofria pelas injustiças, pois seu pai lhe protegia...


Então admirado, sentou-se a beira mar, olhou para o céue viu uma constelação, e lembrou-se das Almas benditas e dos adoráveis Pretos Velhos, e sem se esquecer do bondoso Pai Obaluaê, que aos poucos com seu fluido curava as chagas do seu corpo e espírito...


Fixou o olhar no céu, e nas nuvens brancas a rodear as estrelas, e uma delas brilhava e cintilava, como se fosse o centro do Universo, então humildemente, nosso irmão de fé agradeceu aPai Oxalá por ter lhe dado o Dom da Mediunidade e poder levar alento e paz aos irmãos necessitados...


Então um perfume exalava de dentro do mar, eram rosas perfumadas que chegavam até seus pés, e foi aí que avistou Mãe Iemanjá, seu coração não se continha de tanta alegria, sua mãe o amparava e o confortava, e veio a sua mente...


..."A elevação do filho de fé.... Não está na força ou sabedoria, mas sim em seu coração... Porque ele pode saber pouco ou não ter força alguma. Mas sente a essência e o fundamento da verdadeira Umbanda...


Paz, Amor e Caridade!!!"



Fonte: texto de comentário de Carlos A. M. de Lima, em postagem publicada no Blog do Pai Maneco. Carlos, por sua vez, recebeu este texto via orkut.

CIGANO PABLO (Longo foi o meu caminho...)



Longo foi o meu caminho, andei por esse mundo, andei

Sou um andarilho: sou Cigano, hoje eu sei

Sei que ao caminhar, cumpro minha missão

Dou o meu Axé a quem estender a mão

Todos me chamam Pablo Cigano

Todos me chamam Pablo Cigano

________________________.


Texto sobre Cigano Ricardo


CABOCLA JUREMA (Cabocla, seu penacho é verde...)


Cabocla seu penacho é verde, seu penacho é verde

É da cor do mar

É a cor da Cabocla Jurema, é a cor da Cabocla Jurema

É a cor da Cabocla Jurema, Juremá

OXALÁ (Oxalá criou a terra...)


Oxalá criou a terra, Oxalá criou o mar

Oxalá criou o mundo onde reinam os Orixás


A pedra deu pra Xangô, meu pai, rei e justiceiro

As matas deu pra Oxóssi, caçador, velho guerreiro

Grandes campos de batalha, deu pra Seu Ogum guerreiro

Campinas Pai Oxalá deu para Seu Boiadeiro


Mar com pescaria farta, ele deu pra Iemanjá

Os rios para Oxum, os ventos para Oyá

Lindos jardins com gramados, deu pras Crianças brincar

Oxalá criou o mundo onde reinam os Orixás


Oxalá criou a terra, Oxalá criou o mar

Oxalá criou o mundo, onde reinam os Orixás


O poço deu pra Nanã, a mais velha Orixá

E o Cruzeiro bendito deu pras Almas trabalhar

Finalmente deu as ruas, com estrelas e luar

Pra Exus e Bombogiras nossos caminhos guardar


Oxalá criou a terra, Oxalá criou o mar

Oxalá criou o mundo onde reinam os Orixás


RECADO DE PRETA VELHA


 
"Nêga véia pede licença zifio, pra trocá dois dedo de prosa com suncê.

Esta nêga não entende nada zifio e, ainda, tem muito o que aprender.

Nêga véia não entende como amar, pode significar privar os outros de viver.

Nêga véia não entende como pode ser feita a guerra para se conseguir a paz; 
e nem por que, com a paz verdadeira, os zifios nunca se satisfaz.

Tantos zifios cheios de vida e com medo de morrer, 
outros zifios tão longe da morte e com medo de viver.

Muitos zifios corajosos só para fazer o mal, 
outros zifios tão medrosos de realizar o bem.

Mas o que esta nêga véia menos entende é como os zifios pode tirar as vida dos outro 
e dizer que é em nome de Deus.

Como os zifios pode se achar melhor que os outros por que diz que tem Jesus no coração.

Os zifios tem que se comportar e agir como irmãos não por que pensam da mesma forma, 
moram no mesmo casuá ou partilham das mesmas idéias e ideais; 
os zifios tem que agir como irmãos tão somente porque são fios do mesmo pai que é Zambi.

E o mestre Jesus fiados, 
tem que estar no coração de suncês não para suncês achar que são melhor que os outros, 
mas sim para suncês serem melhores que suncês mesmos, 
para cada dia que passar suncês ser cada vez melhor que no dia que se passou: 
melhores em espírito e virtudes.

Estas lágrimas nos seus olhos zifio, pra nêga véia é um aprendizado.

Este choro ensina a nêga que suncê entendeu ela e que o mundo pode ser melhorado.

Esta nêga também chora zifio e roga a Zambi que as lição de Jesus suncês todos possam aprender, 
e que coloquem o aprendizado em prática para que possam crescer.

Todos juntos, neste divino pranto, irmanados lado a lado.

Pois todo o pranto que vem da alma zifio, também é sinal de aprendizado.

Saravá a Deus nosso pai!!!
Saravá a umbanda!!!
Saravá a linha dos pretos velhos!!!"